miolo_congresso_foco

Perícia autônoma, atalho para a justiça*

   Convido o caro leitor a fazer um exercício de memória. Tente lembra do ano de 1989. Agora tente lembrar-se de tudo o que viveu: estudos, trabalhos, conquistas, construção de famílias, viagens, etc. Certamente será necessário um grande tempo para tantas recordações. Mas e se tudo isso não fosse possível porque o distinto leitor passou
img_1

Uma Ciência Exata

Criminalística e a Perícia Científica podem ser definidas como a aplicação da ciência à lei. A atuação do perito propicia segurança, agilidade e precisão ao processo de elucidação de crimes de qualquer natureza. São os peritos que, utilizando o conhecimento e as técnicas das mais variadas disciplinas como a medicina legal, odontologia forense, balística, engenharia, química, genética, informática, eletrônica,
img_2

Casos de Grande Repercussão

Não faltam exemplos de situações em que a perícia criminal foi decisiva. Ainda estão frescos em nossa memória os acidentes aéreos da TAM, em São Paulo, da Gol com o Legacy, em Mato Grosso e, mais recentemente, da queda do jato de Eduardo Campos. Nos casos da Barragem de Algodões, no Piauí e do vazamento da
img_3

As provas não mentem!

Aliando técnica e conhecimento, os peritos criminais dedicam-se à busca da verdade dos fatos. Examinam cenas de crimes, analisam vestígios in loco ou nos laboratórios, e com isso, ajudam a esclarecer uma infinidade de tipos de crimes. Sua atuação se baseia em teorias como a do “Principio da Troca de Vestígios”, de Edmond Locard. Segundo